O Festival Musidanças cumpre em 2017 a sua 17ª edição, no próximo mês de Setembro. Com vista à promoção deste festival que parte da lusofonia para as músicas do mundo, A Lata Music e o Festival Musidanças tomam a iniciativa de organizar as Musidanças World Sessions a decorrer mensalmente, na primeira sexta-feira de cada mês, com início em Janeiro de 2017, até à edição de 4 de Agosto que antecederá a realização da 17ª edição do Musidanças.
O mote é reunir por sessão uma banda e um Dj que se insiram na filosofia e conceito do Festival Musidanças, de tradição e urbanidade. As Musidanças World Sessions vão percorrer vários distritos de norte a sul do país, sendo que a primeira sessão MWS#1 será agendada para o dia 6 de Janeiro, em Lisboa, no Lounge, e a segunda, no dia 3 de Fevereiro, sexta-feira, no Armazém do Chá, Porto.
Lindú Mona
Firmino Pascoal

Lindú Mona, o projecto musical de Firmino Pascoal, director e fundador do Musidanças, é a banda que vai abrir a MWS#1 em formato trio no espaço do Lounge.  A entrada é livre e o concerto vai ter início às 22h30.

Firmino Pascoal anda envolvido com a música em Portugal desde há mais de 30 anos, durante os quais passou por projectos como os Tantra, ou, Perspectiva, uns dos históricos do rock progressivo, colaborou com os Duo Ouro Negro, ou, com Jorge Fernando, um dos principais compositores de fado no activo, entre muitos outros.
As influências de Lindú Mona são múltiplas e diversificadas, ora vão beber ao Jazz, às músicas de raíz etnográfica, sobretudo de Angola, ao Reggae, á MPB, ou á nova música improvisada. O mais recente registo discográfico de Lindu Mona “Bantú” foi editado em 2010 e está disponível nas principais plataformas digitais. Em 2017 o projecto vai editar uma colectãnea com o registo do melhor dos 30 anos de carreira de Firmino Pascoal.

Recorde-se que enquanto fundador do Musidanças, Firmino Pascoal tem sido ainda responsável, nas edições anteriores, pela apresentação de muitos artistas hoje reconhecidos no panorama nacional e não só, como: Guto Pires, Braima Galissa, Pedro Moreno, FernandoTerra, Lindu Mona, Celina Pereira, Nancy Vieira, Theo Pascal, Sara Tavares, Melo D, Maré Nostrum, Daskarieh, Terrakota, Francisco Naia, Ngoma Makamba, e as revelações de Dama Bete, Aline Frazão e HMB.

CelesteMariposa
Wilson Vilares

Depois de Lindú Mona, Wilson Vilares toma conta dos pratos, mostrando, misturando, exaltando toda a música que CelesteMariposa vem arquivando ao longo dos anos, numa viagem pela história e pela imensa diversidade da música dos PALOP.  A missão é a afirmação da música da África de expressão portuguesa como riqueza cultural celebrada por todos. O AfroBaile para dançar.

CelesteMariposa é uma editora e promotora, e um grupo de acção cultural, com um propósito bem definido: preservar, compilar, divulgar e registar a música e a cultura dos PALOP e da sua diáspora em Portugal. Os AfroBailes organizados desde 2009 são a componente mais visível de toda a actividade, o momento em que é mostrado ao público todo o trabalho feito nos bastidores.

Scúru Fitchádu
Selecta Bob Figurante
Para a MWS#2, dia 3 de Fevereiro no Armazém do Chá, Porto, convidamos o projecto de Funaná-Punk, originário de Almada – Scúru Fitchádu, e um dos DJ’s e activistas da multiculturalidade do Porto, o Selecta Bob Figurante.
Advertisements